Security Build-In: arquitetura projetada para proteger

tetrys pompeia

Muitas pessoas buscam morar em prédios por se sentirem mais seguras do que se morassem em casa. Sabendo disso, desde os primeiros estágios do projeto, empregamos o conceito security build-in em todos os nossos empreendimentos.

Diferente do que geralmente se vê, em um prédio como o Tetrys Pompeia, o sistema de segurança não se restringe a câmeras e cercas elétricas. Pelo contrário, nos empreendimentos Ink, a segurança está integrada ao projeto a ponto de não descaracterizar sua arquitetura e a qualidade de seus espaços.

“Todos os parceiros dos empreendimentos INK acompanham o projeto desde o início. Contamos com a experiência da Fortis, empresa de segurança de condomínios, para conseguir a maior eficiência sem ferir alguns dos nossos principais conceitos que são arquitetura inovadora e qualidade de vida dos moradores. Muros altos e cercas elétricas não são sinônimos de segurança e provamos isso nos nossos projetos”, comenta Gabriela Coelho, da INK.

Outra vantagem é econômica, como conta Cláudio Frischer, da Fortis: “(em empreendimentos de outras incorporadoras) se quiserem inserir mais tecnologia em segurança ou qualquer mudança relacionada a isso, gastam cifras bastante elevadas, além de passarem pelo transtorno natural de obras.

Na comparação, ele explica que “segurança pensada com porteiros 24h chega a custar de 15 a 18 mil reais. Com portaria virtual, com tudo já implantado para que ela funcione, como nos casos dos prédios da INK, esse valor pode cair para 4 a 6 mil reais mensais,” completa.

Algumas das novas tecnologias de segurança aplicadas pela Ink em seus empreendimentos são a guarita preparada para funcionar através da “portaria virtual” e acesso biométrico para entrada de moradores, de visitantes e funcionários (o morador pode determinar exatamente os dias e horários em que estão liberadas as entradas de diaristas ou outros prestadores, por exemplo).

“Esse controle é também uma forma de facilitar o cumprimento das regras do condomínio”, comenta Gabriela.

Escrito por: Editor Ink